Mente de Riley

5 segredos da nossa mente (e hipnose), por trás do filme Divertida Mente

“A arte imita a vida” a conhecida frase atribuída ao filósofo grego Aristóteles sempre me levou a buscar no cinema 🎥 inspiração para o meu trabalho.

Particularmente sou apaixonada 😍 por desenhos e um dos meus favoritos é a animação “Divertida Mente” (Pixar, 2015).  Cada vez que o assisto, tenho uma nova leitura e insights diferentes. Foi justamente esse novo olhar que me fez encontrar conexões entre a hipnose e essa incrível animação, que por todo o seu conteúdo psicológico, foi feita para ‘crianças’ de todas as idades 👧👩👵.

 

1) Nosso cérebro é arquivo de memórias

Tudo aquilo que você viu, tocou, cheirou, ouviu, falou e experenciou está armazenado em sua mente, numa área chamada “Memória de Longo Prazo” (Saiba mais neste vídeo do Modelo da Mente).  Ela é como a nuvem do Google, que possui espaço ilimitado para armazenar suas experiências, embora, na maioria das vezes, essas lembranças não sejam acessadas facilmente. Na animação, quando Alegria e Tristeza saem do escritório central das emoções, conseguem ter dimensão do tamanho de coisas armazenadas e quase esquecidas na mente de Riley.

 

Memória de longo prazo

 

2) Memórias são fixadas pela emoção

Durante o filme, os 5 personagens ficam na sala de comando acompanhando tudo o que acontece no dia a dia de Riley. Os principais acontecimentos da vida da menina são guardados em esferas coloridas que representam suas memórias.

Cada cor está relacionada ao sentimento mais forte daquela situação: medo, nojo, alegria, tristeza e raiva.  Isso quer dizer que todas nossas lembranças armazenadas na nossa memória de longo prazo, sejam elas boas ou ruins, trazem sentimentos que são anexados a elas. Podemos dizer que as memórias em si não possuem emoções, são apenas fatos que são passíveis de interpretação dependendo de quem está passando pela experiência.

 

Memórias de Riley

 

3) As emoções anexadas à memória definem sua programação mental

As chamadas ‘memórias de base’ de Riley definiram sua estrutura de personalidade e sua programação mental.  No desenho, a menina tinha uma lembrança feliz de um jogo de hockey com os pais, mas, quando esta memória foi acidentalmente tocada pela tristeza, ela mudou de cor e se transformou de uma memória feliz, para uma memória triste.  Neste exemplo fica claro o quanto nossas experiências do passado influenciam em nosso comportamento futuro no princípio que chamamos ‘fuga da dor e aproximação do prazer’.  Tudo aquilo que foi positivo em nossa memória, tende a ser repetido e tudo aquilo que foi interpretado como algo ruim ou ameaçador, faz com que evitemos passar por aquilo novamente.  Se uma pessoa teve uma experiência ruim no passado com um relacionamento amoroso, e a mente subconsciente dela ‘aprendeu’ que aquilo é uma experiência ruim; irá fazer de tudo para evitar que se repita.  É bem provável que esta pessoa tenha muita dificuldade de se expor a um novo relacionamento e sofrerá com isso, mesmo querendo conscientemente ser feliz numa relação a dois.

Este é um conceito importante trabalhado na hipnoterapia clínica. Durante o processo terapêutico, identificamos com o sujeito quais são as memórias de base que causaram o comportamento que ele não quer ter mais, separamos a emoção relacionada àquela lembrança e com isso ‘instalamos’ novas programações mentais.  Desta forma, é possível atacar a causa do problema de maneira cirúrgica.

 

Memória alterada

 

 

4) Não existe sentimento bom e ruim, existe sentimento!

Durante o desenho, a personagem Alegria tenta dominar quase todas as memórias de Riley. Ela barrava o medo, controlava a raiva, limitava a atuação da nojinho e bloqueava quase que 100% da participação da tristeza nos eventos; pois achava que isso seria o melhor para a Riley.

A grande sacada aqui, meus queridos, é que todos os sentimentos têm uma função em nossas vidas.  O medo e o nojo trabalham para nossa autopreservação, são herança dos nossos ancestrais das cavernas em milhões de anos de evolução.  Já pensou como seria sua vida sem medo? Você perderia a noção do perigo e certamente morreria. A raiva é o sentimento que nos impulsiona para a ação, que nos move para nos defendermos mediante uma ameaça, ou para que possamos reagir frente a uma injustiça. Você já tentou segurar uma pessoa durante uma crise de raiva? A força dela triplica! Se bem canalizada a raiva pode ser sua maior aliada no atingimento de seus objetivos. A tristeza permite que nos conectemos com os sentimentos dos outros, um pouco de melancolia faz bem, para que você possa viver de maneira mais inteira os momentos de felicidade.

O segredo é equilibrar as emoções e tirar delas aquilo que elas têm de melhor! Isso também é trabalhado na hipnoterapia clínica.  Temos dentro de nossa mente muitas ‘partes’ que deveriam trabalhar em conjunto.  No entanto, elas se desequilibram mediante a interpretação que damos aos fatos.  Por exemplo, a autoconfiança pode ter sua atuação restrita pelo excesso de autopreservação.  Durante o processo de hipnose, colocamos cada sentimento em seu devido lugar e ‘alinhamos’ a atuação de cada um deles internamente, para que trabalhem em conjunto a favor da pessoa, cada um na sua medida… nem mais nem menos!

 

Trabalho em equipe

 

5) Em se tratando de emoções há apenas 2 opções

É impossível não se identificar com a história de Riley em Divertida Mente, afinal, quase todo mundo já passou por uma situação em que tudo parece estar perdido. Nesses momentos, temos apenas duas opções: nos deixar invadir pelo turbilhão de emoções e nos vitimizar mediante as dificuldades, ou, assumirmos o controle de nossos sentimentos e usar o que eles têm de melhor a nosso favor. Existem inúmeras maneiras de fazer isso, mas todas elas têm um ponto em comum: elas só dependem de você. Você não tem culpa do que lhe aconteceu, mas tem a responsabilidade de mudar essa situação, então, não importa se você vai fazer terapia, se vai procurar um médico, um psicólogo, um mentor religioso ou um hipnoterapeuta, este movimento depende única e exclusivamente de você!

 

No controle das emoções

Viu como tudo isso é muito simples? 😃

Se tem algo em sua vida, que não está do jeito que você gostaria, se você entrou no ciclo da auto sabotagem, ou se está adoecido de algum mal (ansiedade, pânico, depressão, fobia…) que te impede de ser feliz plenamente; saiba que existe uma memória de base com um sentimento junto dela, que causa tudo isso em você e, pior, governa a sua vida.

Vamos mudar o roteiro deste filme? Decida ser o protagonista do seu final feliz! 😊

Até a próxima! 😉

Final feliz

 

3 Comments

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: