fbpx
dedo podre

Eu só posso ter o dedo podre, viu!

“Esse meu dedo podre…se pudesse, cortava essa joça fora…..”

Quem aqui não conhece alguém ou é vítima dessa abençoada maledicência? É quase como um karma: a pessoa pensa em ter um relacionamento e o dedo podre já tem missão dada… e Missão dada, é missão cumprida!

Errar, é normal. Todos somos passíveis de falhas e infelizmente, nunca conhecemos ninguém totalmente ou acabamos cometendo erros pelo caminho. Mas o porquê algumas pessoas insistem em manter esse padrão de comportamento?

 

Os sinais de que “não é bem assim”…

O que será que acontece na nossa cabecinha e no nosso coração que o alvo parece sempre errado?

Muitas das vezes, a causa raiz disso tudo, está lá no seu subconsciente que sempre quando percebe que você vai entrar em um relacionamento, dispara algo assim “opa… vamos manter o padrão de repetição já aprendido pra economizar energia”. Os motivos dessa ação podem ser diversos: modelos de relacionamentos tóxicos e destrutivos na infância, negação da nossa autoestima, da falta de amor próprio, de querer sempre alguém “pior” que nós pra nos sentirmos “melhores”, e por aí vai….

O tempo passa, o relacionamento termina e você se pergunta “Outra vez? Mas o que eu fiz de errado pra merecer isso?”.  Nossa mente ela é muito protetora e age para que, quando você percebe que parece que algo vai dar certo, ela pregue uma peça ao contrário e caminha para o sentido oposto…

 

Quais os impactos do “dedo podre”?

Essa “má sorte” se refere a questões suas e que, felizmente, podem ser trabalhadas. Entre elas:

  • deixar de escutar a voz interior — aquela que diz que a união não é saudável;
  • não saber ao certo o que quer;
  • não saber se valorizar;
  • aceitar qualquer relacionamento por carência;
  • dar mais valor a estar junto a alguém do que ser feliz consigo mesmo.

 

Livrando-se do mal….pela raiz

A Hipnose, como ferramenta auxiliadora, pode te ajudar com várias coisas para que você se sinta melhor e pare de repetir esse comportamento. Mas algumas mudanças são mais internas, mais profundas e cabem a você trabalhar quando estiver fora do consultório. Vamos conferir algumas:

Mais vale estar sozinha do que ao lado que alguém que não lhe ame e pior, te empurra mais pra baixo. Valorize-se

  • Saiba exatamente o que você quer

De nada adianta procurar se, nem você sabe ao certo o que quer. Ter senso crítico, responsabilidade, envolvimento e comprometimento não são fáceis de serem adquiridos. Entenda profundamente o que realmente quer

  • Aprenda: quem você procura, também busca por você

Você atrai a energia que emana. Se você transmite carência, é carência que vai receber. Se você envia “desleixo”, é desleixo que irá receber. Traga para si coisas boas QUE VOCÊ mantém dentro de si

  • Avalie características comportamentos nocivos

Apego, dar mais valor ao outro do que a si, indisponibilidade, pouca responsabilidade, falta de atenção. Se algumas dessas características estiver presente, é bem provável que alguma coisa ainda está errada.

dedo podre

Curtiu o artigo? Conhece alguém que vive se queixando do dedo podre? Então marca a pessoa aqui e compartilhe com quem você acha que está precisando de uma “ajudinha básica” para resolver este problema. Até a próxima!

%d blogueiros gostam disto: